Lanny Gordin – LSD

“Talvez o único guitarrista brasileiro que tenha conseguido imprimir uma grife glamurosa ao instrumento tenha sido Lanny Gordin: você ouve e sabe que é ele tocando. E mais: Lanny faz um patchwork genial entre a bossa, o rock e o jazz, sem que pareça uma colcha de retalhos. Se existe uma guitarra brasileira, ela se chama Gordin.” – Cláudio Júlio Tognolli

“Lanny Gordin é um primeiro-sem-segundo na guitarra brasileira.” – Chico César

O Hendrix brasileiro

Ele é desconhecido pela maior parte dos brasileiros, apesar de ter tocado com quase todos os grandes artistas nacionais do final da década de 60 e início da década de 70: o início da Tropicália.

Filho de pai russo e mãe polonesa, nascido em Xangai, na China, tendo morado em Israel durante parte da infância e radicado no Brasil desde os seis anos, Alexander “Lanny” Gordin foi considerado o Jimi Hendrix brasileiro. Continue reading

Randy Rhoads – Queda de Avião

“Se ele tivesse vivido, tenho certeza absoluta de que seria um dos maiores guitarristas que já andaram sobre a terra” – Ozzy Osbourne

Randy Rhoades, o astro que não gostava de ser rockstar

Randy Rhoads foi um guitarrista diferenciado: ele era um estudioso de música clássica, não um roqueiro. Queria sair da banda de Ozzy Osbourne para poder voltar a estudar música, e não gostava da rotina de shows.

Teve apenastrês anos de sucesso antes de morrer com 25 anos, em um acidente de avião bobo e irresponsável, que privou o Rock and Roll de uma das suas maiores promessas. Continue reading

Impossível? Não mesmo

01 de junho de 1967: os Beatles lançam um de seus álbuns mais conhecidos e reverenciados: o Sgt Pepper’s Lonely Hearts Club Band. Três dias depois, a sua faixa de abertura, que leva o mesmo nome do disco é executada pela primeira vez em público.

Porém, não foram os Beatles que a tocaram (eles diziam que era “impossível” fazer isso ao vivo), mas sim um de seus fãs: Jimi Hendrix. Foi no extinto Saville Theatre, em Londres, quando os próprios Paul McCartney e George Harrison estavam na plateia.

Continue reading

A morte de um deus

01 de outubro de 1966. Jimi Hendix estava na Inglaterra há uma semana, quando, acompanhado por Chas Chandler, ele realizou um de seus sonhos: conhecer Eric Clapton, então guitarrista do Cream.

Os fãs de Clapton acreditavam que ele era um deus da guitarra, graças aos seus riffs e solos que posteriormente se tornaram legendários. Quem, por exemplo, nunca viu essa pichação?

clapton-is-god

Continue reading

Jimi Hendrix – Asfixia

“Ele tinha um talento enorme e uma técnica fantástica, como se fosse alguém que passasse todo o dia tocando e praticando, embora não parecesse saber disso. Amava passar as noites em festas, se embebedando ou se drogando, e quando pegava a guitarra, parecia que não se levava a sério.” – Eric Clapton

Jimi Hendrix: o melhor de todos

Ele é considerado por muitos o maior guitarrista de todos os tempos. Revolucionou o uso da distorção, da microfonia (retroalimentação) e da pedaleira para atingir sons nunca antes pensados. Suas participações nos festivais de música da década de 60 são lembradas até hoje.

Teve apenas cinco anos de carreira fazendo sucesso – de 1966 até 1970.

Jimi Hendrix entrou para a história do Rock and Roll por esses e por outros motivos, mas infelizmente morreu aos 27 anos sob circunstâncias que se mantém mal explicadas até hoje; o que só serviu para aumentar o mito em volta dele.

Embora tenha lançado somente quatro álbuns em vida, o alto número de gravações que fez em estúdios rendeu onze lançamentos póstumos – o último deles foi lançado há apenas dois anos. Continue reading